Há poesia em cada dia! Hoje é

A Cinza das Horas

A Cinza das Horas

A Cinza das Horas
é um belo nome
para um livro de poemas.
Mas
A Cinza das Horas
também é um belo nome
para um crematório.
Crematório A Cinza das Horas.
A vida sobe
e desce a morte
por um elevador tétrico
num átimo, segundos,
e, em minutos,
anos são apagados,
átomos são reduzidos a pó.
Em um parque tão verde é
contrastante a chuva de cinzas
que cai cerzindo as horas
feito colcha e
cerceando os corpos
feito fogo.
A música toca e fico sem resposta.
Manuel Bandeira me diz para contar, trinta e três...

2 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Querido, vejo que conheces a obra do monumental autor de "Vou embora pra Pasárgada".
Ah, gosto do teu estilo.
Um abraço. Tenhas uma boa noite.

Marcos R. B. Lima disse...

Olá, Dilmar.

Bandeira é um autor fantástico que admiro muito. Obrigado pelo elogio!

Abraços.

Postar um comentário

Traduzir / Translate

 

© Copyright Há poesia em cada dia . All Rights Reserved.

Designed by TemplateWorld and sponsored by SmashingMagazine

Blogger Template created by Deluxe Templates