Há poesia em cada dia! Hoje é

Bossa Nova

Privilégio de ouvir o maestro:



Bossa Nova

para Tom Jobim


Antonio era Passarim,

mas não Passarim pequeno,

Passarim Grande.

Antonio era gaivota,

marinha e máxima,

mansa e maiúscula,

sonora e sensível.

Antonio caminhava em ondas

como o deslizar insinuante

do ritmo ondulado da calçada

da Praia de Copacabana.

Quando caminhava, chapéu

na cabeça, óculos no rosto,

charuto e sorriso nos lábios,

ecoando na brisa marítima.

Pianista de Hamelin, atraía

as jovens crianças para

o mundo da Bossa...

Não

Momentos de reflexão geram diferentes coisas. Por vezes, poemas:


Não

Não se pode ser nerudiano sem uma boina...
Não se pode ser drummondiano sem óculos...
Não se pode ser oswaldiano sem gravata borboleta...
Não se pode ser gullariano sem uma vasta cabeleira...

Não se pode ser camoniano com dois olhos.

Não se pode ser pessoano sem um bigode...
Não se pode ser viniciano sem uísque...

Não se pode ser borgeano sem uma bengala...
Mas também não se pode ser borgeano com a visão.

E também não se pode ser poeta apenas com versos amontoados.

Não se pode ser poeta sem uma língua.
O poeta cria uma nova linguagem com a língua antiga.
O poeta cria uma nova poética com a linguagem nova.
Não se pode ser poeta sem a poesia.

Essências

Quem realmente somos?


Essências


O tempo passa
e nós mudamos,
sempre mudamos.
Mas sempre voltamos.
Não importa o quanto mudamos,
sempre somos nós.
Isto é imutável.
É física.
E físico.
Físico cada vez que nos
olhamos no espelho,
a máquina do tempo.
Só o tempo manda,
Só ele devora.
O tempo passa
e nós mudamos.
Mas sempre voltamos.
Não importa o quanto mudamos,
somos nós sempre.

Traduzir / Translate

 

© Copyright Há poesia em cada dia . All Rights Reserved.

Designed by TemplateWorld and sponsored by SmashingMagazine

Blogger Template created by Deluxe Templates